terça-feira, 14 de junho de 2011

O profano e o sagrado de uma devoção

PARTE II

 

Como parte das tradições, dia de Santo Antonio, é também dia de diversão e descanso em diversas localidades onde graças ao santo fizeram-se um feriado, que independente da crença,  todos desfrutam de bom grado.
Afinal, o religioso e o profano caminham juntos neste nosso país envolto muito mais num misticismo de crenças do que numa rigidez religiosa em si.
Ao chegar num espaço festivo de devoção religiosa, muito perto da igreja, rezas, santos e procissões estão à disposição também uma enorme gama de variedades comercializadas para todos os gostos e necessidades. Se há barracas de velas, imagens e terços, ao lado sempre há quem possa oferecer a venda de ervas e raízes com os quais se fazem chás e garrafadas que na crendice popular ( ou sabedoria?) alivia todos os males, só não servindo mesmo para o mal maior.

Comércio de ervas e raízes. 
Se há os que percorrem trechos descalços ou de joelhos no chão, há também os que permanecem sentados se entregando aos vícios pecaminosos da bebida, da dança e da comilança. Primeiro se reza e depois passa o tempo nas barracas da feira, no parque, nos bares; ou primeiro comete-se o pecado de desfrutar o lado profano para depois rezar e pedir o perdão pelos pecados? Difícil resposta, e mais complicado ainda é achar quem nunca percorreu um dos dois caminhos ...
E o que é o pecado nessas horas? Dúvidas e comportamentos medievais, porque essas tradições festivas são reflexos do mundo medieval presentes no espaço contemporâneo. É assim que percebo o cotidiano daqueles que observo nesses espaços festivos e em Roça Grande não seria diferente. Uma gente humilde, de fervorosa fé, curiosa pelas novidades do extenso comércio ambulante que que se estende pela rua principal, caridosa com os pobres pedintes no pátio externo do santuário, que dá graças  acendendo velas e comprovam a bondade do santo deixando seus ex-votos no salão dos milagres.

Ex-voto pela graça de ter arrumado casamento.

Ex votos de causas variadas.
Muitos devotos se vestem com a túnica igual ao santo e no final do dia depositam na sala dos milagres.
Ex-votos pela cura de enfermidades.
Nesses 300 anos de devoção, a roça de alimentos que deu nome ao lugar já não é mais cultivada, o Rio das Velhas tornou-se poluído e já não é navegável, os morros vão cedendo lugar às habitações, os trilhos foram substituídos pelo asfalto. Muitos se foram, outros chegaram. Até a capelinha passou a dividir os fiéis com um enorme santuário de ares de moderno, mas a devoção e os descritores que em torno dela foram organizados permaneceram ... Se é para o bem da história e manutenção da cultura de um povo: Que viva Santo Antonio!

13 comentários:

  1. Olá Anabela, que bom que veio me conhecer. Volte sempre.

    Beijo grande,
    Wanderleya.

    ResponderExcluir
  2. Ai que fofa! Lembrou de mim?
    Sabe que eu comecei a ver mas tive que ir trabalhar? Fiquei curiosíssima, vou entrar nos site.
    Beijokas e lindo dia!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, estive lá há muitos anos atrás,fui com meu marido, então namorado...já viu né?Lá no fundinho eu pedi sim uma ajudinha...srsrsrsrsrsr.

    ResponderExcluir
  4. Olá Anabela
    Muito bom o seu post. Gostei de todos esses detalhes de hoje.
    Bjux

    ResponderExcluir
  5. Amiga Anabela

    O meu agradecimento pela sua visita e comentário.

    Excelente seu post-Parte II.
    Por coincidência, também na minha cidade decorreram as festividades em honra de Stº António
    E como não podia deixar de ser, não faltou o profano, ligado ao sagrado.
    Comungo em pleno da sua opinião,
    porquanto o povo celebra com mais interesse o profano, do que o sagrado, pois é dificil ver a rigidez religiosa.
    O que desperta o interesse humano, é o feriado e todo o fulgor da noitada em festa.

    Beijinhos

    Alvaro

    ResponderExcluir
  6. Olá

    Santo António, um santo muito venerado aqui em muitas localidades em Portugal.

    O Santo casamenteiro.

    Adorei o teu post.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Que linda postagem mostrando os dois lados de uma festa tão legal!beijos,chica

    ResponderExcluir
  8. Ei Anabela
    Muito bacana seu texto, mostrando os dois lados que convivem nesta religiosidade do povo brasileiro.
    Gostei muito.
    Bjo

    ResponderExcluir
  9. Anabela. Adorei esse post, gosto de conhecer lugares assim. E é interessante essa mistura que se faz, do sagrado/profano, ritos que ganham uma nova cara.

    E Sto Antônio, coitado, não tem descanso com os inúmeros pedidos rs

    encantador
    bom dia

    ResponderExcluir
  10. Santo António é um dos santos mais populares de Portugal. Eu tenho uma grande ligação com este santo pois o meu filho nasceu às primeiras horas do dia 13 de Junho.
    Beijinhos
    Lourdes

    ResponderExcluir
  11. Oi Ana!
    vim te convidar pro sorteio lá no blog!
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Oi Anabela, estamos em tempo de festa, Festa do Padroeiro, que vai de 25/06 a 03/07, e a Fenadoce - Feira Nacional do Doce, e se estivesse mais perto, irias, talvez, aproveitar ambas.

    Beijos, e se tiveres Facebook, passa lá pelo da igreja ou mesmo pelo meu.

    Um ótimo domingo!

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Seja benvindo e volte sempre!