domingo, 23 de março de 2014

Marolo, araticum ou bruto?



Tanto faz! São nomes populares para o fruto de uma árvore típica do cerrado ( Annona Crassiflora ) que chega a medir até 8 metros de altura por 4 de copa. Caracteriza-se por ter o tronco retorcido, casca grossa e fissuras, com raízes muito profundas para alcançar o lençol freático.
O araticum tem  aparência grosseira, é cheio de escamas, de cor nos tons entre o amarelo e o marrom, formato globular e quando maduro começa a se abrir dos pólos para o centro exalando um aroma que se identifica ao longe.



Não necessita ser cultivado, salvo para garantir a preservação da espécie um tanto quanto ameaçada pela devastação humana. Nasce nos campos de cerrado e a sua colheita é natural... cai do pé e é coletado pelos apreciadores e principalmente pelos vendedores de beira de estrada.
O marolo possui uma farta polpa que varia de coloração do branco ao laranja. O gosto é adocicado. Como inconveniente trás apenas um enorme número de sementes em seus favos, que se analisados pelo lado bom, impõem uma degustação lenta e muito mais saborosa. O fruto pode chegar a pesar até 4,5 kg.



É uma fruta comestível, que pode ser usada para fazer doces, geleias, sorvetes ... 
O araticum é nativo no centro e sul de Minas Gerais, em Goiás, no Mato Grosso e na Bahia. O que não impede sua existência em outras regiões do Brasil. Há cidades mineiras que fazem  festa para comemorar a produção local, incentivando a produção de receitas típicas, como é o caso de Paraguaçu.



Serve para matar a fome! Segundo Guimarães Rosa, no seu Grande sertão: veredas, " Assim que a matolagem desmereceu em acabar, mesmo fome não curtimos, por um bem: se caçou boi. A mais, ainda tinha araticum maduro no cerrado."  

   

31 comentários:

  1. Anabela, eu já pensava que por aqui ninguém conhecia esse tal marolo! Fruta da minha infância! Íamos de caminhão na cidade de Campos Novos Paulista, buscar o tal marolo e uma frutinha deliciosa chamada de guariroba. Tempo bom e era uma aventura, andar por lá catando marolo! Muito legal seu post! Bem ilustrado e muito informativo. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo está seu blog Anabela, quanto tempo não te visito e essa música gostosa saudando a gente?!As vezes sinto muita falta de blogar.
    Como comentei no face, essa fruta é mesma fruta do conde? Se for eu adoro!

    Bjs,

    ResponderExcluir
  3. Que legal!!!Eu não conhecia essa fruta:) deve ser parente da fruta do conde né? Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá,querida Anabela!
    Sempre achei tão interessante estas frutas do cerrado,que muita gente da cidade grande nem sequer sabe que elas existem! Eu mesma,carioca da gema (Rs...), só fui "apresentada" ao "marolo",há uns 20 anos atrás,quando fizemos uma longa viagem pelo sertão de Goiás. Lembro que naquela ocasião, paramos o carro no meio de uma estrada deserta,perto da cidade de "Formosa" e o meu sogro entrou cerrado adentro pra pegar um desses grandes frutos,que ele adorava...Foi uma viagem maravilhosa, ainda no tempo que havia bastante cerradão no interior goiano, e se via muitas frutas e árvores interessantes,inclusive muitos animais...O "marolo" pra mim,é parte agora da minha estória e vai ficar sempre no lado mais doce das minhas memórias! Adorei o teu post,amiga!!!
    Beijo grande e uma semana abençoada pra vocês!!!
    Teresa
    ("Se essa lua fosse minha")

    ResponderExcluir
  5. Ah,Anabela,também adoooro essa música "Rua Ramalhete"!!! E ficou lindo o novo lay-out do blog!Parabéns!!!
    Quando puderes, dá uma passadinha lá no meu blog pra ver a nossa trilha pelas terras mineiras da Serra da Mantiqueira...Acho que você vai gostar!
    Outro beijo pra ti!!!
    Teresa

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia esta fruta Marolo, vivendo e aprendendo, gostei muito da postagem agora a música dá um show linda demais, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  7. Oi Anabela
    Já ouvi falar em araticum, parente da pinha, só que ela é menor, eu não gostei muito do sabor, não, mas meu marido adorou.
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Por dentro parece fruta do conde, né?! Se o sabor for parecido com certeza vou amar!
    Um bejim pra você!

    ResponderExcluir
  9. Ai,q delícia essa fruta!
    Obrigada por aparecer no blog,volte sempre!
    A Maria Luiza falou de guariroba e a gente qdo criança sumia no mato atrás de guariroba...bons tempos.
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Ai,q delícia essa fruta!
    Obrigada por aparecer no blog,volte sempre!
    A Maria Luiza falou de guariroba e a gente qdo criança sumia no mato atrás de guariroba...bons tempos.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Anabela, obrigada pelas carinhosas palavras por lá...
    Não conhecia esta fruta... Bem legal saber dela!

    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Acredita que eu nunca ouvi falar essa fruta?! Que vergonha eu to agora!

    ResponderExcluir
  13. Faz tempo que nao vejo esta fruta.
    Bela apresentação que me deu vontade de comer.

    Lindo fim de semana Ana.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Oi Ana Bela,
    eu não conheço essa fruta, mas me parece muito apetitosa, adoro experimentar novos sabores, vou procurar por aqui.
    Sobre a receita dos docinhos que vc reclamou, passei só a do docinho de coco, fico devendo as outras, rsrs.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. E eu não a conhecia! Lindo post! Beleza! beijos,chica

    ResponderExcluir
  16. Anabela,nunca vi essa fruta de perto, só por imagens e de ouvir falar. Deve ter um gôsto parecido com jaca...adorei a postagem,muito interessante! bjs,

    ResponderExcluir
  17. Vim agradecer a sua visita e gostei muito por encontrar aqui coisinhas da minha terra. Mas confesso que não gosto das frutas do cerrado (preconceito?), mas o marido adora.

    ResponderExcluir
  18. Muito interessante este teu post, Anabela! Apesar de ter vivido no Brasil nunca tinha ouvido falar do marolo, mas achei-o muito bonito; aberto faz lembrar uma flor. Muita informação recebi hoje aqui, aliás, já é costume no teu blog. Muito obrigada, Anabela pela partilha. Fica bem! Um beijinho amigo.
    Emília

    ResponderExcluir
  19. Conheço pelo nome de marolo.
    Otima postagem falando por um fruto natural do pais e pouco conhecido, Por que sera que brasileiro conhece tao pouco de seus proprio pais e de sua historia?!?!?!?!

    ResponderExcluir
  20. Desconhecia por completo este fruto, obrigado pela partilha.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  21. Olá querida!
    Nossa, não conhecia não... adorei conhecer!
    Beijo, beijoooo!
    She

    ResponderExcluir
  22. Oi Ana!
    Eu adoro essa fruta e chamo de pinha.
    Na minha rua tem um pé que só da uma vez por ano!
    Uma delicia!
    Bjss

    ResponderExcluir
  23. Oi, Anabela!
    Sempre em época de marolo eu ia para Minas buscar e agora não acho mais. Pra mim, uma fruta que está em extinção. Uma pena!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  24. Que interessante! Não conhecia.
    Bjs

    ResponderExcluir
  25. Quanta saudade!
    Ótimo final de semana.
    Grande abraço.
    Gilson.

    ResponderExcluir
  26. Muchas gracias por el artículo! estas frutas a veces son nativas también de mi país, Argentina, me gustaría conseguir semillas de marolo, tengo de otras especies nativas para intercambiar, mi mail es marcos@ovejafm.com ; gracias!

    ResponderExcluir
  27. É uma delícia!!! Sabor e cheiro incomparável!!!

    ResponderExcluir
  28. É uma delícia!!! Sabor e cheiro incomparável!!!

    ResponderExcluir
  29. Hummm...uma delicia! Sou do interior do Tocantins. Aqui conhecemos esse fruto como bruto. Nosso cerrado é rico em frutos deliciosos.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Seja benvindo e volte sempre!