sábado, 21 de junho de 2014

Na terra de Minas, a Copa 2014.


Mineirão no jogo Bélgica X Argélia

Olá pessoas queridas que sempre me prestigiam com uma visita! Sei que ando um tanto quanto sumida. Não, não há problemas além da falta de inspiração.
Bom, Copa é motivo de confraternização e alegria, portanto venho aqui falar de coisas boas, do lado positivo do evento que tem a nossa cidade como um dos palcos.
A principio confesso que estive muito resistente à ideia de ficar ou não por aqui durante esse período. Quis correr do movimento que na verdade imaginava que seria uma bagunça. Com o tempo fui me convencendo de que deveria ficar e enfrentar o desafio de habitar uma cidade em festa. E que festa!
De repente chegou a  hora. Delegações e torcedores começaram a chegar... Os colombianos com suas camisas amarelas, engrossaram a mensagem nas ruas de que a Copa é no Brasil. E começa a abertura, o jogo, as emoções, e o desejo de estar lá no meio da torcida vibrando pelo meu time ou simplesmente compartilhando com outros povos a alegria de ser brasileira!
E assim, o que era temido passou a ser querido. Tive a oportunidade de estar no estádio no jogo da Bélgica X Argélia. Independente do resultado, que povo alegre e amistoso são os argelinos! País de seleção sem muitas chances, mas de milhares de torcedores que apostaram também na vantagem de conhecer um país tão caloroso como é o Brasil. Já os belgas, com sua torcida reduzida, não deixaram por menos a sua bravura e acreditaram até o fim.
Fato interessante nesse jogo foi a presença de um moçambicano que torcia pela Argélia e vibrava gritando o nome de seu país. 
Perguntei a ele: Por que veio para Copa se o seu país está fora da competição?
Ele me respondeu: Sim, Moçambique não foi classificado, mas eu vim torcer pela África. Vou aos jogos de países africanos e quando forem eliminados fico torcendo pela Ásia, América, para alguém que derrube a Europa.
Nada respondi, pois compreendi sua mensagem política, econômica, social e etc.
Hoje temos "los hermanos ", gente alegre até demais, que não se deixam abater por estar no país rival. Que invadem as ruas, causam problemas (já previstos),  tomam toda a cerveja e comem todo o churrasco que lhes aparece a frente.
Goleada? Não tiveram. Graças aos nossos amigos iranianos. Sim, porque os brasileiros que estiveram no Mineirão hoje, engrossaram a discreta torcida do irão... 

5 comentários:

  1. Oi Anabela
    Legal seu texto, gostei e concordo com suas palavras, sem falar na música de fundo, linda.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga

    Há lugares
    que o coração
    gosta de viajar.
    Lugares onde a amizade
    um dia bebeu da alegria,
    e por isso decide voltar.
    Lugares como este.

    Um grande abraço,
    e obrigado pela amizade.

    ResponderExcluir
  3. Ah, Anabela, quanto eu quis escrever sobre a Copa do Mundo e Futebol no Brasil!!!! Não consegui e o que vi aqui no seu texto foi, muito provavelmente (diria: certamente), mais que eu mesmo poderia dizer. Você disse, por exemplo, que o futebol corre nas nossas veias, e, apaixonadamente, nós, os apaixonados, o abraçamos e sorrimos e choramos e até brigamos, sem conseguir tirar os olhos dos seus olhos brilhantes dos tempos do golzinho na rua. Que consigamos ser um país melhor, sempre, mas deixemos o futebol viver! Abraços. Fiquei muito contente ao ler seu texto. Não fui a nenhum dos jogos ainda por absoluta falta de dinheiro (risos). A TV, nessa hora, ajuda.
    Gilson.

    ResponderExcluir
  4. Oi Anabela, como vais?
    Olhando comentários de postagens antigas no meu blog, passei pelo teu nome, enfim a Copa do Mundo está indo embora, ainda mais depois daquele vergonhoso 1 X 7 que vai entrar para a históoria.
    Pergunto, estavas nesse jogo, fosse a alguma partida?
    Faltam dois jogos, no momento que eu te escrevo, Brasil X Holanda e Alemanha X Argentina, a final torço pelo Messi e companhia. A Alemanha que tem a equipe mais forte tem três títulos, se ganhar esse encosta em títulos no Brasil, já a Argentina tem dois, se ganhar fica há dois títulos de nossa fraquíssima seleção.
    Espero que no futuro, venha o técnico que vier, monte uma seleção de verdade capaz de enfrentar qualquer seleção, porque nessa copa e contra adversários medianos deixamos muito a desejar, e quando veio uma forte fomos goleados sem piedade, sorte que o Neymar e o Thiago não jogaram, vão sair como heróis, porque se estivessem em campo não mudaria nada, aquele era o dia da Alemanha.
    Beijos e tudo de bom pra ti.
    Mauro

    ResponderExcluir
  5. Oi Anabela, não concordo sobre jogo arranjado, nem interferência da FIFA, nem apagão de seis minutos, se esse apagão existisse, pergunto, e o jogo com a Holanda?
    O que houve foi um apagão de convocação, isso sim, para enfrentar adversários medianos até que tínhamos alguma coisa, a bola se enrolava nas pernas de um e outro, nossos e deles, mas no fim chegávamos ao gol, e íamos passando, mas quando surgiu dois adversários fortes, Alemanha e Holanda, mostramos toda a nossa fragilidade e a Seleção Brasileira virou seleção brasileira. Se não for feito um trabalho de mudanças agora, enquanto há tempo, chegaremos na Rússia com novas desculpas e daremos novo vexame. Se a Alemanha for tetra ficará a um título do penta e com esse futebol do Brasil veremos os alemães empatarem com a gente, Brasil. Espero um técnico de fora com novas ideias para sacudir nosso futebol, porque como está não dá. Beijos e bom domingo.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Seja benvindo e volte sempre!