domingo, 5 de agosto de 2012

Serro é assim... um patrimônio do sertão.


Rua direita, vista do alto da capela de Santa Rita, com destaque na foto para a escadaria e o casarão onde funciona a prefeitura.


Seguimos para o Serro. Antes passamos por um vilarejo chamado Três Barras e ali, por outra ponte sobre o rio Jequitinhonha, ainda um filete.
Antiga Vila do Príncipe do Serro Frio, a cidade no seu espaço físico, é na verdade um penhasco encravado na Serra do Espinhaço. Suas casas no centro histórico estão dispostas em poucas ruas, a maioria com um calçamento bem antigo e irregular que somadas aos morros e ruelas, becos e travessas, dificultam a circulação dos carros contemporâneos. São praticamente três ruas que se estendem na encosta, uma sobreposta à outra com boa extensão, e as demais seguem o declive do morro e são estreitas e pouco extensas.

Calçamento antigo original.


A maioria das casas ainda estão conservadas. Muitas são usadas como estabelecimentos comerciais ou repartições públicas. Vi muitos comércios antigos, mas a modernidade já está transformando o lugar. É possível ver pessoas exibindo coisas e hábitos urbanos com facilidade.
Infelizmente não pude visitar os museus nem as igrejas. Estavam fechados. Segundo me informaram no posto de atendimento aos turistas, o motivo era a reorganização dos espaços nos museus, pois haviam terminado na véspera uma gravação cinematográfica. E quanto às igrejas, eu teria que seguir o ritmo da cidade... Enfim fiquei apenas com a visão externa da cidade, que já fez valer a pena o passeio.

Capela de Santa Rita vista da rua direita. 

A capela de Santa Rita é uma atração na cidade, não só pela beleza externa de sua fachada poligonal com uma torre central, mas também pela famosa escadaria composta de 50 degraus que leva os devotos a subirem rezando o terço até o topo do morro onde se encontra.
Foi construída a partir de 1745.

Capela de Santa Rita

Descida da Capela de Santa Rita.

A igreja de Nossa Senhora do Carmo foi construída entre 1768 e 1781. Do lado externo existe uma escadaria que dá acesso ao adro e sugere ali um ar de nobreza estética. 

Igreja de N S do Carmo


A maior igreja na cidade é a de Nossa Senhora da Conceição, construída entre 1776 e 1872. Sua fachada é simples e o destaque se dá pela imponência na altura do templo. Possui uma pequena escadaria em pedra sabão.
De um modo geral, as igrejas na cidade do Serro são bem simples na fachada externa, um estilo rococó sem muita preocupação com a exuberância e ostentação, tal como existe em outras cidades históricas mineiras. 

Igreja matriz de N S da Conceição

Presente de Deus ...


Vista da parte baixa, com  a igreja de N Senhor do Matosinhos, do lado direito o casão do Museu Teófilo Otoni e à esquerda o espaço verde do Museu e Casa do Barão.

10 comentários:

  1. Querida Anabela!
    Não imaginas como eu gosto tanto de viajar contigo por essas belas cidades mineiras ...Sem dúvida,uma viagem no tempo e nas memórias deste Brasil que muita gente desconhece.
    E que encanto tu nos trazes hoje com esta paisagem formosa e tão especial de Serro...Uma pequena,mas preciosa jóia escondida no tempo! Impossível a gente não se admirar com este belo conjunto arquitetônico e o cenário bucólico e tão especial deste lugar...Tudo aconchegante e lindo demais!
    Muito obrigada,amiga querida, por compartilhar estes tesouros antigos e tão fascinantes da bela Minas Gerais!
    Beijo grande pra ti!!!
    Teresa

    ResponderExcluir
  2. Que lindas fotos mostraste aqui..Lindo lugar!!! Que tu semana seja linda também!beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Que lindas fotos! É "a cara" de Minas...
    Fiquei com vontade de conhecer essa cidade!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Ei Anabela
    Que lindo é o Serro, tenho muita vontade de ir até lá.
    As fotos ficaram bárbaras.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Oie Anabela!
    Morro de vontade de conhecer o serro, dizem que os queijos de lá são uma delícia.
    As fotos estão lindas!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  6. Quando for ao Brasil vou fazer tudo para ir ao Serro, com a Anabela por cicerone...
    Gostei muito das fotos.
    Compadre Alentejano

    ResponderExcluir
  7. Um dia quero caminhar por estas pedras, bem devagar. E trocar com estas janelas olhares demorados.Um dia...
    Obrigado.
    Abraço.
    Gilson.

    ResponderExcluir
  8. é um lugar lindo né? e tão importante culturalmente, como vc citou no seu post (filme). tanta coisa importante do cinema nacional foi feita ai...
    incrível!

    bjs e bom dia

    ResponderExcluir
  9. Oi Anabela! Sua frase sobre espiritualidade me trouxe até aqui! E estou passeando aqui há quase uma hora... encantada! Eu amo Minas Gerais e estou encantada com seu blog! Já estou te seguindo prá não perdê-la de vista! Quero passear muito de carona no seu blog! Sua participação na série do Espiritual Idade foi nota 10! Bjks Tetê - Manancial (http://ma-nan-cial.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  10. Pelos caminhos de Minas,deve ser seu livro minha amiga,com todas as belezas e tradições desta bela terra.
    Lindas ilustrações que me enchem de saudades.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Seja benvindo e volte sempre!